• antropoLÓGICAS

Contribuições da Associação Brasileira de Psicologia Política para o debate sobre a pandemia

Atualizado: Jul 2

Por Frederico Alves Costa. Presidente da Associação Brasileira de Psicologia Política[1] (Gestão 2019-2020), professor do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), coordenador do Núcleo de Psicologia Política (NPP-UFAL)[2]



A Associação Brasileira de Psicologia Política (ABPP) é uma associação científica fundada em 2000 que tem entre suas finalidades contribuir para o ensino e a pesquisa em psicologia política, difundir os conhecimentos produzidos neste campo e estabelecer intercâmbios com outras entidades científicas. Em consonância com estas finalidades, durante a Marcha Virtual pela Ciência - realizada no dia 07 de maio de 2020, organizada pela Sociedade Brasileira pelo Progresso da Ciência (SBPC) e apoiada por diferentes entidades científicas - a ABPP lançou seu canal do Youtube (https://www.youtube.com/watch?v=dPYzuD49YB8) e uma nova atividade: o Projeto ABPP e Conjuntura Política no Contexto de Pandemia.


Este projeto é caracterizado pelo convite a sócias(os) da ABPP para produzirem vídeos debatendo temáticas investigadas por elas(es) e que nos auxiliam a refletir sobre o contexto histórico em que vivemos, marcado pelo impacto da pandemia em diferentes âmbitos sociais (saúde, educação, emprego e renda, etc.) e também, no caso brasileiro, por ameaças à democracia e pelo negacionismo científico.


Através dos vídeos é possível entrar em contato com discussões construídas no campo de conhecimento da psicologia política, o qual, em razão de sua interdisciplinaridade e dos aspectos históricos e contextuais referentes à sua institucionalização e desenvolvimento em diferentes países (Costa, 2018; Costa & Machado, 2018; Costa & Machado, 2019; Costa & Machado, 2020), apresenta uma pluralidade teórica e metodológica, ainda que tenha como foco o estudo de fenômenos políticos.


Agradecemos às/aos associadas/os que já participaram no Projeto e convidamos todas e todos para assistirem e compartilhar os vídeos, bem como pesquisadoras(es), estudantes e profissionais para se aproximarem da ABPP e tornarem-se sócias(os) desta entidade científica (https://psicologiapolitica.org.br/associe-se/).


Neste texto apresentaremos os quatro primeiros vídeos do Projeto, publicados em maio de 2020. O primeiro vídeo abordou aspectos políticos e psicológicos relativos à pandemia COVID-19 e foi produzido pela Dra. Marcela de Andrade Gomes, vice-presidente-Regional Sul da ABPP e professora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Marcela apontou que a pandemia tem demonstrado a fragilidade humana e ressaltou na discussão proposta a profunda desigualdade social que estrutura a sociedade brasileira, o uso do discurso dos direitos humanos no contexto da pandemia (para quem serve?), a necropolitica como inerente ao sistema capitalista e a escassez de investimento do Estado Brasileiro nas políticas públicas e na ciência.




A Dra. Josiele Bené Lahorgue, secretária geral da ABPP e professora da Faculdade CESUSC e da Universidade Regional de Blumenau (FURB), foi a associada convidada para o segundo vídeo do Projeto. Josiele abordou o enfrentamento à pandemia da COVID-19 a partir de aspectos relativos à Psicologia de Emergência e Desastres, da relação entre saberes científicos e comunitários, da necessidade de fortalecimento das políticas públicas e da articulação entre a psicologia social crítica, a psicologia comunitária latino-americana e a psicologia política.




O terceiro vídeo do projeto debateu o contexto da pandemia da COVID-19 a partir de seus impactos em contextos rurais e para populações indígenas e quilombolas. O associado convidado para este vídeo foi o Dr. Jáder Ferreira Leite, ex-Presidente da ABPP (Gestão 2017-2018) e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Jáder apontou para a importância de refletirmos sobre o modo de produção agro-alimentar brasileiro, afirmando a necessidade de construirmos um modelo baseado em práticas de sustentabilidade, de proteção do meio-ambiente e de fortalecimento da agricultura familiar. Ele salientou a importância do reconhecimento da produção científica para a investigação destes aspectos, bem como a necessidade de construirmos articulações políticas e políticas públicas orientadas para a garantia de melhores condições de vida das populações e para a proteção do meio-ambiente.




O último vídeo do mês de maio tratou-se de uma entrevista produzida pelo Dr. Leandro Amorim Rosa, membro do Conselho Fiscal da ABPP, com o Dr. Salvador Sandoval, ex-Presidente da ABPP (Gestões 2003-2005 / 2011-2014), professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e um dos fundadores da ABPP. A entrevista teve como foco o tema “Instituições democráticas e a participação política no contexto da pandemia”. Sandoval discutiu sobre a relação adversarial entre o Executivo e o Legislativo e o Judiciário no Brasil e sobre o fortalecimento dos governos estaduais e municipais neste contexto da pandemia. Ademais, apontou para a importância de refletirmos sobre formas de participação política presentes neste momento que exige a permanência das pessoas em casa (panelaços, redes sociais) e sobre a possibilidade de transformação da consciência política em termos do papel dos governos em relação à construção das políticas públicas.




A diversidade e relevância dos debates presentes nestes vídeos permite observarmos contribuições da psicologia política para o debate sobre a conjuntura política que vivenciamos no país. Historicamente, a psicologia política brasileira começou a ser institucionalizada nos anos 1980 em torno de uma perspectiva político-científica que defendia o fim da ditadura-militar e a democratização da sociedade brasileira, bem como a produção de conhecimentos que buscassem problematizar os problemas políticos presentes, sobretudo, no país e na América Latina. Na luta constante contra o autoritarismo e na defesa de uma ciência que não se furte ao seu papel de refletir sobre o tempo presente e de contribuir para a ampliação de direitos democráticos que novamente convidamos todas e todos para conhecerem o projeto ABPP e Conjuntura Política no Contexto de Pandemia e para se aproximarem da Associação Brasileira de Psicologia Política.



Referências


Costa, F A. (2018). Desafios para a psicologia política brasileira: a inserção em Programas de Pós-Graduação e a delimitação como campo de conhecimento. Revista Psicologia Política, 18(42), 220-235. Recuperado em 04 de junho de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2018000200002&lng=pt&tlng=pt


Costa, F. A. & Machado, F. V. (2018). Para além das fronteiras disciplinares: trajetórias acadêmica e política de Cornelis Johannes van Stralen. Revista Psicologia Política, 18(42), 399-427. Recuperado em 04 de junho de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2018000200014&lng=pt&tlng=pt


Costa, F. A. & Machado, F. V. (2019). Historiadora de vidas: a trajetória acadêmica e profissional de Vanessa Andrade de Barros. Revista Psicologia Política, 19(46), 679-699. Recuperado em 04 de junho de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2019000300021&lng=pt&tlng=pt


Costa, F. A. & Machado, F. V. (2020). Engajamento político e reflexões críticas: entrevista com Leoncio Francisco Camino. Revista Psicologia Política, 20(47), 218-251. Recuperado em 04 de junho de 2020, de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2020000100017&lng=pt&tlng=pt





Notas:

[1] Página da Associação Brasileira de Psicologia Política: https://psicologiapolitica.org.br/ [2] Página do Núcleo de Psicologia Política – UFAL: https://nppufal.home.blog/

0 visualização

© 2023 por Design para Vida.

Criado orgulhosamente com Wix.com

CONTRA A PORTARIA 34 E AS MUDANÇAS NA DISTRIBUIÇÃO DE BOLSAS DA CAPES